Storytelling: Como é aplicado ao Marketing?

Storytelling: Como é aplicado ao Marketing?

Uma boa história nunca envelhece mal. Independentemente da época em que nos encontremos, os humanos sempre gostaram de ouvir e contar contos. Desde a Idade da Pedra até à Era Digital, uma boa sequência de eventos nunca falha em cativar. A wisdom IGNITE hoje explica-lhe como esse conceito também em publicidade é facilmente aplicado. Descubra como uma boa campanha de storytelling pode fascinar o seu público de formas inesperadas.

O que é Storytelling?

Independentemente da sua experiência e conhecimentos em marketing digital com certeza já deve ter ouvido este conceito em algum lado, certo? A palavra resulta da junção de “Story” (história) com “Telling” (contar). Em diversos meios, nomeadamente livros, teatro, cinema e séries de televisão com certeza teve a experiência de experienciar uma história de qualidade.

E se lhe disséssemos que também em publicidade pode ver este conceito na prática? Fazer publicidade é fácil, fazer publicidade de qualidade é outro panorama no qual o storytelling tem o seu potencial. Em marketing digital temos diversas formas de contar um conto de qualidade: texto, imagem, vídeo e som podem ser usados para criar uma mensagem bastante apelativa para o seu público.

Como posso aplicar ao Marketing Digital?

Primeiro que tudo convém conhecer o seu público. Dependendo do tipo de público e do produto que pretende divulgar, a partir daí poderá refletir sobre uma “dor” ou “necessidade” que a sua audiência sinta. A partir daí pense em basear a sua história nessas duas bases.

De seguida comece por ponderar na elaboração de uma narrativa marcante conduzida ou por uma personagem ou mensagem fortes. Tanto uma como outra devem conter elementos com os quais o seu público se identifique, seja uma mensagem de esperança ou um obstáculo que seja ultrapassado no fim da narrativa. Lembre-se que acima de tudo a mensagem deve ser marcada pelo otimismo e pela inspiração positiva que será transmitida aos recetores da sua mensagem.

Além disso, não se esqueça de incluir um call to action no final. Não exatamente um apelo à compra, mas um apelo a uma forma de pensar diferente inspirada pela mensagem que procurou passar à sua audiência. Termos como “agora ou nunca”, “tudo ou nada”, “pense diferente” podem ser uma boa base para criar a sua própria mensagem impactante.

Mais do que contar uma história é integrar a audiência nela

Um pequeno segredo para o ajudar: as pessoas gostam de sentir que são parte de algo maior. Somos seres que gostamos de integrar grupos e a ideia de exclusão não é de todo apelativa. Além disso o consumo atualmente é mais marcado pela ideia da experiência e não tanto pela ideia de um “produto”.

Outro fator no qual convém refletir: quais os valores pelos quais a sua marca ou empresa se guia? De que maneira é que os seus serviços ou produtos se encaixam nesses valores positivos? Pense nisto antes de começar a elaborar a sua narrativa final.

Alguns pequenos truques para contar uma história

Ainda se sente perdido relativamente aos componentes da sua história? Comecemos por enumerar quatro dos principais elementos que irão ser a base do seu conto:

  • Ambiente
  • Personagem
  • Mensagem
  • Conflito

Estes quatro fatores serão os principais fios condutores da história. Após ter os quatro bem claros na sua mente, falta decidir como a história se vai concretizar. Há diversas “queixas” relativamente à falta de originalidade em ficção, contudo, tal não quer dizer que não existam modelos intemporais que sempre capturaram atenções, seja a ideia original ou não. Deixamos-lhe alguns exemplos, bem como algumas obras de ficção que se guiam pelos mesmos:

  • Inimigo Comum (“Game of Thrones”)
  • Somos Parecidos: (Diversas obras da Disney abordam este tema)
  • Jornada do Herói: (“Senhor dos Anéis”, “Star Wars” e “Harry Potter”)
  • Herói por Acidente (“O Feiticeiro de OZ”)
  • Do Fracasso a Fama: (“Rocky” e “Karate Kid”)

Após escolher a narrativa que irá conduzir a sua história, não se esqueça de incluir “gatilhos mentais” para tornar o fio condutor mais interessante. Pode servir-se de keywords tais como razão, segurança, escassez, autoridade, etc.

Agora que vai começara a contar a sua história, o passo mais complicado é começar. Pense bem na mensagem que gostaria que ficasse com o sue público e comece a criar um cenário que seja percetível para a sua audiência. Mesmo que a narrativa não seja original, não desanime: no fim é a moral da história que vai prevalecer para o seu público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.